segunda-feira, 31 de maio de 2021

Neto de Golbery revela como o avô ajudou Ivete Vargas a tirar o PTB de Brizola

Em sua tese de doutorado para o curso de Relações Internacionais da PUC-Rio, o sociólogo Golbery do Couto e Silva Neto, que conclui, desde o início da pandemia , a biografia sobre seu avô, conta como o general e ex-ministro de Geisel e de Figueiredo, ajudou a sobrinha de Getúlio, Ivete Vargas, a tirar o PTB (sigla trabalhista  criada por Getúlio Vargas em 1946) de Leonel Brizola, em 1980.

"Meu avô era antigetulista. Em 1954, liderou o Manifesto dos Coronéis. Redigido por oficiais que criticavam a política salarial de Vargas para com a classe militar e que eram contrários ao aumento de 100 por cento no salário mínimo, dado por João Goulart em primeiro de maio.  Vovô foi um grande teórico do golpe militar de 1964. Era anticomunista.  Demitiu-se do governo Figueiredo, por não concordar com ações da extrema direita no caso da bomba do Riocentro (jogada por militares da extrema  direita  em um show com artistas da MPB, em 30 de abril de 1981, no Riocentro), mas ele achava que Leonel Brizola estava ligado a comunistas internacionais. Ligados a Cuba e a Moscou.  Por isso, ajudou a sobrinha de Getúlio Vargas a recriar o PTB.  Com a influência meu avô, Ivete Vargas obteve o registro do PTB ( que hoje está sob posse de Roberto Jefferson e seus seguidores) no Tribunal Superior Eleitoral. A decisão impediu Brizola de retornar à politica através do partido trabalhista criado por Vargas "- lembra o sociólogo e neto do general.

 A tese de doutorado do neto de Golbery tem o título "A influência do golpe militar de 1964 para evitar a terceira guerra mundial.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário