Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 26, 2016

Nada mudou

Enquanto Eduardo Cunha continua amargando seus dias num presídio em Curitiba, Claudia Cruz segue fazendo compras nos melhores shoppings do Rio de Janeiro. A mulher de Eduardo Cunha  foi clicada enquanto fazia compras no Shopping Fashion Mall, em São Conrado. Foto Ag News

40 anos da Pelada Modus Show

Na última sexta-feira, 23, vários artistas da Planet Globe, Seleção de Artistas, estiveram  no Iate Clube Jardim Guanabara, para a quadragésima Pelada Modus Show, organizada pelo comodoro José Moraes. A pelada foi realizada pela primeira vez em 1976, no mesmo campo do Iate, só que, a época, ainda de terra. Felipe Simas, Caio Paduan,  José Vitor Oliveira, Nando Cunha, Thierry Figueira, o Claudio Cunha, Miguel Santos, Leandrinho, cantor Toni Garrido, MC Smith entre outros, participaram da partida comandada por Guaraci valente. Depois da partida, José Moraes fez uma homenagem a Felipe Simas, por sua vitória na "Dança dos Famosos" do Faustão. Fotos Cleomir Tavares

Hoje tem palhaçada? Tem sim, senhor!

Há tempos o circo encanta a todos com a sua magia lúdica. Uma história que estamos acostumados a ver de forma única e tradicional. Em “O Leão e a Bailarina”, o diretor e autor Fred Trotta apresenta o grande circo através do olhar do Palhaço.  Com cenários e figurinos livremente inspirados nos anos 20, o  Palhaço Fuinha, narrar para o garoto (e toda a plateia), a bela história que viveu no circo. E tudo começa assim… Ao chegar no circo, Esthefany, a nova bailarina encanta a todos com sua beleza, simplicidade e talento. Principalmente Leônidas, o Leão e maior atração do “Nosso Circo”. Ao perceber isso, o cruel e malvado Domador Hans resolve usar o Leão em seu terrível plano de vingança para acabar com o circo. Um conto original, atemporal, embalados com seis músicas autorais, dez personagens e muitos elementos circenses. E deixa a mensagem que sonhar vale a pena! Que assim, como o Circo, as histórias são como sonhos, que contados de um em um nunca morrem. O espetáculo fica em carta