Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 15, 2012

Senado aprova free shops nas fronteiras

O projeto que autoriza a instalação de lojas francas nos municípios de fronteira, permitindo a venda de mercadoria nacional ou estrangeira, nos municípios caracterizados como cidades gêmeas de cidades estrangeiras na linha de fronteira, foi aprovado pelo Senado. A matéria foi relatada pela senadora Ana Amélia (PP-RS), que defendeu a aprovação na tribuna do Senado.  O projeto retorna agora à Câmara dos Deputados, onde será votado em Plenário, e depois segue para sanção presidencial e regulamentação do Governo e da Receita Federal. Entre as alterações feitas está a retirada do artigo que prevê a adoção do Regime Aduaneiro Especial de Exportação pelo Varejo Nacional (EVN), o qual prevê a restituição de impostos ao turista estrangeiro antes de sua volta a seu país. Ao destacar a importância da aprovação do projeto, Ana Amélia afirmou que muitas cidades fronteiriças sofrem concorrência desleal por não contarem com as lojas francas, já existentes nas cidades dos países vizinhos. -  No Rio

Collor pede aos EUA moderação diante do assassinato do embaixador norte-americano na Libia

Na qualidade de presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, o senador Fernando Collor (PTB-AL) pediu moderação aos Estados Unidos diante do assassinato do embaixador norte-americano na Libia, Christopher Stevens . Para Collor , somente uma atitude moderada dos Estados Unidos poderá evitar consequências mais graves e o prosseguimento da violência. Na opinião do ex-Presidente da República e senador Collor o atentado não deve ser analisado apenas como reação de grupos radicais islâmicos contra a exibição de um video considerado ofensivo ao Profeta Maomé e ao Islã . De acordo com Collor , há uma crescente revolta do mundo islâmico contra atitudes de paises ocidentais, que, na visão daqueles povos, estariam indo além do combate ao terrorismo. Collor lembrou que a derrubada de Muamar Kadafi deixou um vácuo de poder na Libia, deixando o país dividido em territórios controlados por grupos de milicianos, sem possibilidade de manutenção da ordem.