sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Confira os eventos que agitam o Rio neste fim de semana




  • Sexta, 21
Bloco Carmelitas
Local: Esquina da Ladeira de Santa Teresa com Rua Dias de Barros, Santa Teresa
Horário: 13h
Bloco Escorrega Mas Não Cai
Local: Rua Sacadura Cabral, Gamboa
Horário: 16h
Bloco Órfãos do Brizola
Local: Rua do Teatro, Centro
Horário: 17h
Show Duda Beat
Local: Av. Professor Pereira Reis, 50 – Santo Cristo
Horário: 20h
Ingressos a partir de R$ 70,00
Show Alcione e Péricles
Local: Terreirão – Rua Benedito Hipólito, 66 – Praça Onze – Centro
Horário: 19h
Ingressos a partir de R$10,00
  • Sábado, 22
Bloco Cordão da Bola Preta
Local: Avenida Presidente Antônio Carlos, em frente ao Terminal Menezes Cortes, Centro
Horário: 7h
Bloco Banda de Ipanema
Local: Rua Gomes Carneiro, Ipanema
Horário: 15h
Bloco Cachorrão de Bangu
Local: Rua 12 de Fevereiro, esquina com a Rua Santa Cecília, Bangu
Horário: 16h
Baile do Shá
Local:  Rua Jardim Botânico, 1.003 – Jardim Botânico – Vista Bar (Maguje)
Horário:16h às 2h
Ingressos a partir de R$50,00
Fogo e Paixão
Local: Avenida Professor Pereira Reis, 50 – Santo Cristo
Horário: a partir das 17h
Ingressos a partir de R$ 30,00
Mais informações: https://www.sympla.com.br
Feijoada Courtyard/Residence Inn
Local: Av. Embaixador Abelardo Bueno, 5001 – Barra da Tijuca – RestauranteThe Bistro
Horário: 12h às 15h
Ingressos a partir de R$ 50,00 + taxas
Carnaval Folia Cultural do Méier
Local: Em frente ao Shopping do Meier – Rio de Janeiro, RJ
Horário: 15h às 22h
Show Mumuzinho e Belo
Local: Terreirão – Rua Benedito Hipólito, 66 – Praça Onze – Centro
Horário: 19h
Ingressos a partir de R$ 10,00
Bailinho do Uptown 2020
Local: Uptown Barra
Av. Ayrton Senna, 5.500, 22775-005 Rio de Janeiro
Horário:  dias 22 e 23, às 14h às 22h
  • Domingo 23
Bloco Cordão do Boitatá
Local: Praça XV, Centro
Horário: 11h
Bloco Toca Rauuuul!
Local: Praça Tiradentes, Centro
Horário: 14h
Bloco Bambas do Catete
Local: Rua do Catete, 153, Catete
Horário: 15h
Bloco Harmonia de Copacabana
Local: Avenida Atlântica, esquina com a Rua Siqueira Campos, Copacabana
Horário: 16h
Bloco Cachorro Cansado
Local: Praça José de Alencar, Flamengo
Horário: 16h
Show Ferrugem e Suel   
Local: Terreirão –  Rua Benedito Hipólito, 66 – Praça Onze – Centro
Horário: 19h
Ingressos a partir de R$ 10,00
Mais Amor e Samba
Local: Rua Jardim Botânico, 1.003 – Jardim Botânico – Vista Bar (Maguje)
Horário: 17h às 2h
Ingressos a partir de R$ 50,00

João Roberto Kelly, Rei das Marchinhas, contesta censura à música

João Roberto Kelly (82), mais conhecido como “Rei das Marchinhas”, se apresentou nesta quarta-feira , 19, no Teatro Rival Refit. O compositor participou de um bate-papo com a nossa equipe.

  •  Você é o Rei das Marchinhas e por isso gostaria de saber como você vê nesse momento em que não podemos cantar, por exemplo, "Olha a Cabeleira do Zezé" porque é racismo e por aí vai.
João Roberto: Acho politicamente incorreto, uma coisa descabida. Claro que pode, todo mundo canta e gosta, não é nada demais. Acho que o politicamente correto está um pouquinho exagerado. Quem proibiu? Isso é censura, que conheci infelizmente no tempo da ditadura.
  •  Como você olha o Carnaval dos dias atuais?
João Roberto: Evoluiu, o carnaval hoje é uma festa que domina o Brasil inteiro, temos carnaval em todos os estados. Existem defeitos, como em tudo, mas as virtudes são muito maiores e a alegria domina. Vamos ter um carnaval maravilhoso esse ano porque ele evoluiu mesmo com todos os problemas.
  •  De onde você tira inspiração para compor tanta coisa boa?
João Roberto: Do dia a dia, quando eu sinto algo interessante ou curioso eu procuro fazer uma marchinha ou um samba, são indicações das pessoas e da vida.
  • Você gosta de desfile de escola de samba? Torce por alguma?
João Roberto: Gosto muito, fui inclusive presidente da Rio Tour, é algo difícil de cumprir. Mas eu torço pela Mangueira, a escola mais tradicional do Rio de Janeiro. Fico triste que o Império Serrano não está participando da divisão principal, porque o Império, Mangueira e Salgueiro pra mim são as três grandes escola tradicionais do carnaval brasileiro, não desfazendo das demais, sou também admirador da Beija-Flor.
  • Pra você qual o maior e mais importante personagem do carnaval carioca?
João Roberto: É difícil dizer porque o carnaval tem muitos, cada um no seu setor. Mas vou citar uma saudade, de um que mexeu com as escolas de samba, e eu gostava e respeitava muito, o carnavalesco Joãozinho Trinta. Conheci-o no Teatro Municipal e depois ele se tornou um grande carnavalesco, mudou a cara do carnaval.