terça-feira, 26 de setembro de 2017

Johnny Hooker é o convidado de hoje do “MPB com tudo dentro”

Hoje à noite, no programa de web “MPB com tudo dentro” de Rodrigo Faour, Johnny Hooker explica seu processo criativo. Conta que suas músicas têm sempre um arranjo caprichado de metais por influência do frevo pernambucano, motivado por sua vivência em muitos carnavais nas ruas de Recife. E revela que num deles, com apenas três anos de idade, cruzou com Chico Science
“Eu vi o Mangue Beat pequenininho. Meus pais eram amigos daquela turma toda. Eu me lembro de encontrar nos carnavais com o Chico. Teve um que a gente trocou de fantasia. Porque eu estava emburrado, não estava gostando da minha, e ele estava vestido de Chapolin Colorado. Então ele me deu a camisa dele e ficou assim imensa em mim, mas eu fiquei todo feliz”.

Hooker conta ainda que, antes da música, sua primeira grande paixão foi o cinema. “Era uma criança muito velha. Gostava de falar de(Serguei) Eisenstein, Griffith, sobre câmeras e lentes de cinema, Hollywood antiga. Tinha paixões como Elizabeth Taylor, que era minha musa mor. Tanto que o gatinho do olho do meu personagem vem dela, em Cleópatra. Sabia quantas trocas de figurino ela tinha no filme, seu cachê, tudo sobre os casamentos, a vida conturbada dela e o starsystem de Hollywood. Isso me alimentava. E aí encontrar todas essas figuras do meu imaginário na letra de “Vogue” da Madonna foi incrível. E eu era uma criança”. O programa vai ao ar terça-feira no site youtube.com/rodrigofaouroficial


Nenhum comentário:

Postar um comentário