quinta-feira, 19 de maio de 2016

Artistas prestigiam o lançamento do livro Teatro Duse: o primeiro teatro-laboratório do Brasil

Maria Pompeu e Othon Bastos
Escrito pelo ator, diretor e professor Diego Molina e editado pela Fundação Nacional de Artes, o livro Teatro Duse: o primeiro teatro-laboratório do Brasil foi lançado na noite de terça-feira, 17, na Livraria da Travessa, em Botafogo, no Rio, reunindo personalidades da área, público e funcionários da instituição.
Na apresentação da obra, o dramaturgo Bosco Brasil, analisando o período de funcionamento do Teatro Duse, afirmou que a publicação “descortina um momento muito especial, com informações muito preciosas, trazendo contribuição definitiva para um momento que é muito pouco conhecido”. Bosco, que assina o prefácio falou para o público que lotou o espaço da livraria que “a experiência do Duse foi feita com muita impulsividade, mas com muito cuidado”. “Foi um momento que definiu e deu a cara do fazer teatral no Brasil. O livro dá um salto no entendimento do teatro brasileiro que a gente não tinha; recupera esse momento com muita precisão e muita força teórica e uma pesquisa potente. É fundamental para quem é apaixonado pela história do teatro brasileiro”.

O autor Diego Molina contou que a idéia do livro nasceu quando ele integrou a equipe comandada por Helena Ferrez, então diretora do Centro de Documentação da Funarte, durante um ano, período em que teve contato com os cerca de 25 mil documentos do acervo de Paschoal Carlos Magno, empreendedor cultural que nos anos 1950 agitou as artes cênicas no país.  Diego explica que, após desenvolver a dissertação de mestrado na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), em 2009, voltou à Funarte já com o propósito de transformar o material no livro, com foco no Teatro Duse, o teatro-laboratório, montado por Paschoal em sua casa em Santa Teresa e que lançou autores e atores no cenário brasileiro, além de contribuir para a formação de muitos profissionais da área teatral.

Na elaboração da obra, o autor contou com depoimentos importantes de profissionais que passaram pelo  Duse como Othon Bastos, Agildo Ribeiro, Maria Pompeu, que colaboraram para enriquecer o conteúdo da publicação da Funarte.
Além de Othon Bastos, também estiveram presentes ao lançamento o cenógrafo José Dias; o ator e escritor Sérgio Fonta; os atores Marcius Melhem, Antonio Carlos Bernardes, Maria Pompeu, Carine Klimeck; a autora e diretora Renata Mizrahi, entre outros. Foto Sebastião Castellano

Nenhum comentário:

Postar um comentário