sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Para pouquíssimos

O joalheiro Manoel Bernardes declarou  que a Cartier  - grife que ele representa em Minas Gerais -  está tendo que arcar com forte "subsídio" nos preços para viabilizar a venda de seus relógios no mercado brasileiro. E foi mais longe:
 - É política da marca ter os mesmos preços em todos países. Se não houvesse o subsídio, os produtos no Brasil ficariam 80% mais caros que nos Estados Unidos, em virtude da alta carga tributária - disse Bernardes.
Alguns modelos das pequenas máquinas subsidiadas vão custar mais que apartamentos ou carros de luxo: a bagatela  de meio milhão de reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário