quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Rio de Janeiro volta a ser a capital mundial das harpas com o XVI RioHarpFestival


Nem mesmo a pandemia do novo coronavírus impediu que o XV RioHarpFestival fosse realizado, em 2020. E o seu sucesso de crítica, mídia e público fez com que o festival tenha continuidade, em 2021. Graças à Lei Aldir Blanc, o XVI RioHarpaFestival terá uma versão latino-americana destacando harpistas latino-americanos.O XVI RioHarpFestival - versãolatino-americana - Virtual acontece entre os dias 15 de janeiro e 8 de fevereiro. A ideia é que havendo uma evolução positiva da situação no país e no mundo, a edição completa possa voltar a ser realizada ainda em 2021 contando com harpistas do mundo todo. 

Esta versão virtual e compacta servirá de abertura e manutenção do evento. Além do Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Colômbia, Venezuela, Peru, Equador e México estarão representados no festival. 

Serão 15 músicos de 9 países, incluindo importantes artistas brasileiros e orquestras de projetos sociais. Apoiado pela Lei Aldyr Blanc da Secretaria Estadual de Cultura e Economia criativa, o evento está inserido no projeto “Música no Museu”, que em 24 anos de atividades ininterruptas de janeiro a dezembro, anualmente, atinge o Brasil de norte a sul, além de sua vertente internacional. Há 16 anos "Música no Museu" dedica um mês à harpa.

O evento anual tem acontecido sem interrupção e sempre com recitais lotados tanto na versão presencial quanto virtual. Consolidado no roteiro internacional da harpa, o festival carioca terá apresentações com músicos vindos de vários países latino-americanos tocando do clássico ao rock, passando por étnico, jazz e também ritmos brasileiros tocados por dedos ágeis ao pinçar as cordas da harpa

Além dos harpistas, outros destaques do festival são orquestras de comunidades que realizam trabalhos de inclusão social através da música. Irão se apresentar a Orquestra Violões do Forte, um projeto desenvolvido na Comunidade do Pavão-Pavãozinho; a Camerata do Uerê, da Comunidade da Maré; a Orquestra Música para Todos, do Piauí, e a Orquestra da Cavaquinhos, das comunidades de Cabo Frio

O RioHarpFestival está inserido em “Música no Museu”, considerada a maior série de música clássica do Brasil, que nos seus 24 anos de atividades registra um público superior a 1 milhão de espectadores no Brasil e se expandiu para países de todos os continentes levando música e músicos brasileiros para o exterior. Com 30 prêmios nacionais e internacionais, o projeto foi tema de mestrado, na Universidade de Berlim, na Alemanha. Na sua programação anual, “Música no Museu” é dividido em concertos referentes às estações do ano (Concertos de Verão, Outono, Inverno e Primavera) e o de Natal. Em cada mês um tema ou um naipe é privilegiado. Maio é o mês das harpas.

Os concertos serão transmitidos pelas redes sociais Cedro Rosa: YouTube (https://www.youtube.com/channel/UC25sT7ofudoMWTDOx5T2DdQ), Facebook (https://www.facebook.com/cedrorosadigital.com.br/) e Twitter (https://twitter.com/cedrodigital). E também através dos sites www.radiomusicanomuseu.com e  www.musicanom