sábado, 2 de junho de 2018

Depois de cinco anos em cartaz em Salvador, “Tragiblasfemiaorgia” chega ao Rio

 
Fundada há 20 anos em Salvador, a Cia. Psicodélicos de Teatro chega a Rio de Janeiro com sua arte e originalidade.  E apresenta hoje, na arena Jovelina Perola Negra, na Pavuna, a peça “Tragiblasfemiaorgia”. O espetáculo ficou cinco anos em cartaz em Salvador, e foi adaptado para o cinema. A produção é marcada pela ousadia, com direito até a cena com atores nus no palco’. “Mas a nudez não é gratuita. Tudo é baseado na mitologia, há um conteúdo e uma mensagem ali”, explica Afonso Pena, ator e diretor da companhia.
Em cena, o grupo apresenta tipos humanos diversos: poetas, mendigos, andarilhos, que dialogam seus sonhos e desventuras num misto de humor e poesia. “Por meio das cenas de humor pretendemos fazer o espectador refletir sobre a atual situação em que se encontra o indivíduo em meio a uma sociedade excludente e neurótica”, afirma Afonso.
Inspirado no poema “Blasfêmia”, de Cecília Meireles, o espetáculo também se baseia na obra de escritores como Arnaldo Jabor, Arnaldo Antunes, Adélia de Castro, Dionísio Neto e Elisa Lucinda, entre outros.