quinta-feira, 30 de junho de 2016

35ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador movimenta R$ 20 milhões

A 35ª Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador é um dos eventos mais aguardados do ano para os criadores e apaixonados pela raça considerada a maior da América Latina. O evento começa dia 13 e vai até o dia 23,  no Parque Bolivar de Andrade (Parque da Gameleira) e tem estimativa de receber mais de 150 mil visitantes. A Exposição, que celebra os 67 anos de atuação da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), deve movimentar R$ 20 milhões em negócios nos leilões, shoppings de animais e vendas diretas entre os criadores. Aproximadamente, 1.800 animais, incluindo os de pista, esporte e para remate, advindos de todas as regiões do país participam do evento.  De acordo com dados do Estudo do Complexo do Agronegócio Cavalo realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o setor de cavalos movimenta R$ 7,3 bilhões ao ano e emprega 3,2 milhões de pessoas entre empregos diretos e indiretos. “Para se ter uma ideia da dimensão do negócio, o setor do cavalo representa seis vezes o que emprega a indústria automobilística no país”, comenta Daniel Borja, presidente da ABCCMM.
O Brasil ainda possui o terceiro maior rebanho equino do mundo com 5,9 milhões de cabeças. A raça possui um plantel de 600 mil cabeças no país. Somente o estado de Minas Gerais corresponde a quase metade desse número. A ABCCMM possui 12 mil associados, com 67 núcleos no país e também núcleos no exterior em países como a Alemanha, Itália, Estados Unidos e Argentina.
O valor de um Mangalarga Marchador pode variar muito de acordo com a linhagem e títulos do animal. Animais para cavalgadas podem ser adquiridos, por exemplo, pelo mesmo preço de uma motocicleta e um animal de elite, voltado para reprodução, pode chegar até R$ 2 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário