quinta-feira, 19 de maio de 2016

Mário de Andrade: Exílio no Rio

A ideia de Moacir Werneck de Castro foi reunir algumas impressões sobre o seu convívio no Rio de Janeiro, entre 1938 e 1941, com o autor de Macunaíma. Em Mário de Andrade: Exílio no Rio é possível não apenas entender como era múltipla a personalidade do escritor e esclarecer aspectos de sua obra, mas também penetrar na atmosfera da então capital da República, naqueles anos de Estado Novo e início da Segunda Guerra Mundial.

Para compor o livro agora relançado pela Autêntica,  o autor empreendeu um minucioso trabalho de pesquisa junto a diversas fontes e fez entrevistas com pessoas próximas a Mário de Andrade. Mais que expor fatos e acontecimentos, o texto, leve e saboroso, nos guia pelas entrelinhas dos escritos de Mário, pois é também fruto da sensibilidade de quem conviveu no dia a dia com o autor do verso “eu sou trezentos, sou trezentos e cinquenta”: “Era múltiplo, e como! Poucos expoentes da cultura brasileira reuniram tantos e tão variados títulos [...]. Múltiplo na atividade intelectual e na complexidade dos aspectos de sua personalidade, que tiveram relevo diferenciado ao longo das várias fases de sua vida”, observa o biógrafo. Autor Moacir Werneck de Castro Editora Autêntica - Páginas 224 - Preço: R$ 47,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário