quarta-feira, 25 de maio de 2016

Iluminação da ponte estaiada terá efeito que remete às cordas de harpa

As noites da Barra da Tijuca terão uma luz diferente, a partir da inauguração da Linha 4 do Metrô. Contemplada com um dos últimos projetos de iluminação do artista das luzes alemão Peter Gasper, morto em maio de 2014, a ponte estaiada da nova linha metroviária terá uma decoração cênica. Mesmo com toda essa tecnologia, a ponte tem sido muito criticada pelos moradores da Barra que consideram a construção feia e agressiva a paisagem natural do bairro.

Com tons de branco, o detalhe está na temperatura das cores: fria, mais branca, quase azulada, ou quente, que será mais amarelada. Já na operação, a iluminação poderá ficar estática ou em movimento, com efeito que lembrará as cordas de uma harpa.

Após os testes, a iluminação já está em sua configuração final: nos últimos dias, a decoração cênica da ponte estaiada tem sido acesa por completo, para os últimos ajustes. Ao longo da estrutura, para iluminar os 26 conjuntos de cabos de aço (estais), há 120 projetores distribuídos e fixados à ponte. A iluminação será feita de baixo para cima. Os dois pilares também têm refletores no seu contorno.

As lâmpadas têm tecnologia LED, com maior economia e durabilidade. A instalação ocorreu entre os meses de março e abril. Os colaboradores fizeram a montagem de 1.500 metros de fitas com lâmpadas LED para a iluminação das placas laterais na cor branca. A via permanente, por onde os trens vão passar, terá iluminação especial para dar destaque à passagem das composições. Em toda a extensão da ponte, a cor azul vai refletir nos vagões.

Peter Gasper também foi responsável pela iluminação do Cristo Redentor, quando o monumento completou 80 anos, e do Planalto Central, além da Missa para o Papa João Paulo II no Aterro do Flamengo e do show de Frank Sinatra, no Maracanã, ambos em 1980.

Nenhum comentário:

Postar um comentário