sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Entrevista com Andreia Mota que lança Paisagem Invisível

Durante o 'aquecimento' para o show de lançamento do disco Paisagem Invisível, que acontece neste sábado, 22, no Solar de Botafogo, a carioca Andreia Mota concedeu entrevista ao  JP e falou um pouco de sua trajetória na música e no palco, das influências de Fernando Pessoa e Manoel de Barros e, claro, do disco e do show. Confira!
JP - Você une atuação e canto no show. Fale um pouco de sua formação nesses dois mundos.

Andreia Mota - O canto sempre esteve presente na minha vida, já o teatro chegou mais tarde.  Meu primeiro trabalho profissional foi há 10 anos atrás no musical Raul Fora da Lei, que falava sobre a vida e obra de Raul Seixas ao lado do ator e diretor Roberto Bomtempo. Depois disso estudei artes cênicas e paralelamente cantava, já trabalhei com diversos estilos e linguagens musicais que vão desde a música coral até grupos de samba e bandas de bossa nova, MPB, jazz e pop. Ao final do curso de teatro resolvi unir essas duas vertentes da minha formação e conclui o curso com um trabalho voltado para corpo e voz , que em seguida deu origem ao Paisagem Invisível.



JP -  O show traz algumas marcas de nomes de grandes pesos  como Fernando Pessoa e Manoel de Barros. Que reação você espera de seu público? 

Andreia Mota - No Paisagem Invisível eu queria falar sobre as diversas sensações de alma, sobre o impalpável e ao ler o prefácio de “ O cancioneiro de Fernando Pessoa "todo o estado de alma é não só representável por uma paisagem, mas verdadeiramente uma paisagem" Dei o nome ao CD.
Manoel de Barros apareceu num estágio muito oportuno do processo criativo do show (antes de pensar em gravar o CD o Paisagem Invisível foi pensado para ser um show), foi como se a partir de então, houvesse uma permissão maior para criar com mais liberdade. 
Buscava fazer um show diferente, que quebrasse algumas expectativas já engessadas naquilo reconhecemos como show de música, como sou também atriz, queria fazer um show encenado, onde a cena viesse para estimular a escuta musical, criando ambientações sem o compromisso de contar uma história, sim de criar condições favoráveis para ouvir e sentir cada música.
Eu não estou esperando uma reação específica o que mais importa é percepção sensível de cada um, isso é sempre uma surpresa!



JP -  Dos seus Olhos é de sua autoria. fale um pouco de seu lado compositora, quais as influências que você sofre na hora de compor.

Andreia Mota -Não me considero compositora gosto escrever letras e depois crio melodias para elas apenas como um exercício criativo, sem maiores pretensões. Nunca pensei sobre as influencias que sofro na hora de compor, pois faço isso de uma forma muito lúdica.
“Dos seus olhos” é uma musica muito especial pra mim, pois fala de entrega e do exato instante em que você se vê nos olhos do outro.
   
JP -  E a escolha de repertório tão recheada pelos grandes nomes de nossa música, como foi a seleção?

Andreia Mota - As músicas do CD Paisagem Invisível foram escolhidas, inicialmente, a partir dos artistas que me influenciavam como Tom Jobim, Milton Nascimento, Wilson Batista… Tendo como eixo principal a força dos ritmos brasileiros embebidos na linguagem do jazz, o objetivo foi fazer releituras de músicas desses artistas já consagrados de modo a trazer nelas uma identidade própria, atual, trabalhando-as com os elementos que dialogam com a música feita hoje. O caminho natural foi descobrir, ao longo do processo, os novos compositores que de alguma forma estavam engajados em construir um discurso próprio também. Foi então, que através do compositor Marcelo Fedrá conheci um grupo de compositores jovens, cariocas, dentre eles Renato Frazão, Thiago Amud (que junto ao Fedrá compôs a musica que dá nome ao CD).les trouxeram para o trabalho o frescor do ineditismo que estava se construindo naturalmente com a direção musical de Victor Ribeiro. Dessa forma o repertório é composto metade por releituras e outra parte de músicas inéditas, sendo três delas compostas especialmente para o show, refletindo sobre o tema Paisagem Invisível.

Serviço: 
Data: 22 de fevereiro de 2014 
Horário: 21h30 
ingressos: R$50 inteira e R$25 meia 
Local: Solar de Botafogo - Rua General Polidoro, 180 – Botafogo



Nenhum comentário:

Postar um comentário